Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rancho Folclórico Santa Luzia de Airães

O Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães, iniciou a sua actividade em Março de 1977, destinado à divulgação da música, traje e dança da região de entre Douro e Minho. É Membro Efectivo da Federação de Folclore Português.

Rancho Folclórico Santa Luzia de Airães

O Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães, iniciou a sua actividade em Março de 1977, destinado à divulgação da música, traje e dança da região de entre Douro e Minho. É Membro Efectivo da Federação de Folclore Português.

Festival de Espinho

18.06.14 | rancho santa luzia de Airães
www.youtube.com/watch?v=QCLVrQCk2k
O Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães, participou no dia  07 de Junho de 2014, no Festival de Folclore do Rancho Regional Recordar é Viver de Paramos, em Espinho.
As danças e cantares mais típicos desta região, são: - RUSGAS - VIRAS e TIRANAS. Os trajes são de uma grande variedade, não só de acordo com a possibilidade económica de então e de cada um, mas também com a época do ano, o dia da semana e as actividades que estavam a desenvolver. 
Rancho Regional Recordar é Viver de Paramos
  

Fundação: 13 Maio 1980.
Região Etnográfica: Douro Litoral - Sul.
Danças Tradicionais: Danças de Roda, Tiranas, Malhão, Rusgas, Viras (de Roda, Cruz e Coluna), Danças em Linha ou Coluna, entre outras. 
Trajes: Lavradores Ricos e Remediados, Ver a Deus (Pobre e Rico), Traje de Festa e Romaria, Domingar, Traje de Feira e diversos Trajes de Trabalho (Campo, Eira e Mar).
Tocata: Concertina, Cavaquinhos, Viola Braguesa (Ramaldeira), Violão, Bandolim, Bombo, Harmónica de beiço e Ferrinhos.
Património: Sede.

Usos e Costumes: Divulgação e preservação da Cultura Tradicional Popular da região dos finais do Sé. XIX.
Representações Nacionais: De Norte a Sul do País e Ilhas da Madeira e Açores.
Representações Internacionais: Espanha, França, Holanda, Bélgica, Alemanha, Itália, África do Sul e Brasil.
Associado: Federação do Folclore Português, Inatel e Associação de Folclore do Concelho de Espinho.

 

   

 Paramos é uma das cinco freguesias que compõem o concelho de Espinho e, apesar de ser banhada pelo mar, quase não viveu nem dependeu dele. Sempre foi uma das mais rurais do concelho e, por isso, ainda hoje mantém e vive tradições verda-deiramente populares.


 Sentindo a necessidade de manter e reviver o riquíssimo Património Cultural dos seus antepassados, surgiu em 13 de Maio de 1980 este Rancho, tendo os seus responsáveis iniciado um profundo e aten-to trabalho de recolha e pesquisa, ainda hoje em curso.


 O Rancho Regional Recordar é Viver de Paramos, é hoje um dos mais repre-sentativos desta Região, pela verdade do seu Folclore e Etnografia, orgulhando-se de pertencer à Federação do Folclore Português sendo um digno e fiel  intérprete de norte a sul do País, na Europa, África e América, da Cultura Tradicional Portuguesa de Matriz Popular. Foi o iniciador do Festival de Folclore de Espinho e do Folkespinho, e ainda do l Festival de Folclore Lusófono em Portugal.

Os cantares e danças mais características da sua região, são, entre outras: - Rusgas, Viras e Tiranas.

 

 Este Rancho é um dos pioneiros, a nível Nacional a apresentar a público quadros temáticos representativos da vida quotidiana dos seus antepassados.


 Os trajes e diversos adereços são de uma grande variedade e diversidade, não só de acordo com a possibilidade económica de então e de cada um, mas também conforme a época do ano, o dia da semana e as actividades que estivessem a desenvolver.