Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rancho Folclórico Santa Luzia de Airães

O Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães, iniciou a sua actividade em Março de 1977, destinado à divulgação da música, traje e dança da região de entre Douro e Minho. É Membro Efectivo da Federação de Folclore Português.

Rancho Folclórico Santa Luzia de Airães

O Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães, iniciou a sua actividade em Março de 1977, destinado à divulgação da música, traje e dança da região de entre Douro e Minho. É Membro Efectivo da Federação de Folclore Português.

Teatro no Mosteiro de Airães.

10.10.14 | rancho santa luzia de Airães

 

 

 

ENTRE ESPADAS E CRUZADAS

O românico. A inspiração do projeto criado pelo Teatro do Montemuro, em parceria com o Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães, e uma preceria com a Rota do Românico. - 

 

O Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães e  o Teatro de Montemuro,  vai apresentar uma peça teatral, no dia 17 de Outubro de 2014, ás 21H00,  no Mosteiro de Santa Maria de Airães. 

 

TEATRO DO MONTEMURO
 
Teatro
 
O românico. A inspiração do projeto criado pelo Teatro do Montemuro, em parceria com grupos do território da Rota do Românico.

- See more at: http://palcos.rotadoromanico.com/entre-espadas-e-cruzadas-2/#sthash.OUqor9KB.dpuf

Um coro de monges prepara-se para ensaiar. Três deles vagueiam pelo espaço. Um escriturário, sentado no canto, vai escrevendo no seu costumeiro como que ninguém desse por ele. De vez em quando espirra para se fazer sentir.

Um arquiteto mais o seu mestre-de-obras entram analisando a obra. Vão falando sobre as alterações que foram feitas ao projeto inicial e as dificuldades que o senhor abade tem tido em compreendê-las.

Pedem a um dos monges que vagueia pelo espaço para o ir chamar. Os ânimos exaltam-se entre o arquiteto e o prior. Ouve-se um som, é anunciada a chegada do aio do rei. O aio vem confrontar o arquiteto, perguntando-lhe por que motivo esta obra ainda não está concluída.

O arquiteto defende-se dizendo que o único culpado é o senhor abade, que não aceita as novas alterações no projeto. O prior defende-se, alegando que as alterações feitas vão contra o acordado no projeto. O aio do rei diz: “a obra tem de ser aprovada e apenas o rei tem poderes para decidir”.

Implementar um programa cultural que contribua para o desenvolvimento do território da Rota do Românico, potencializando os objetivos gerais e a missão deste projeto, assume-se como propósito último do programa a que designamos de “Palcos do Românico”.   Com o “Palcos do Românico” pretende-se valorizar, de forma sustentada, o nosso património imaterial – contos, lendas, músicas, danças -, dando-lhe uma nova vitalidade e significado. Este extraordinário recurso, memória e identidade mais profunda da nossa comunidade, constitui a matéria-prima sobre a qual se deseja intervir e a partir da qual se pretende produzir novos bens culturais e criativos, com relevante valor social, cultural e económico.   Por outro lado, a utilização do património edificado, transformando-o em “palco” de criações artísticas, permite uma valorização do mesmo, aumentando a sua visibilidade e o conhecimento das comunidades e visitantes. A comunidade do território da Rota do Românico é também um elemento fulcral deste processo que é o “Palcos do Românico”.   Num programa que assenta, fundamentalmente, em novas criações artísticas, ligamos profissionais a amadores, residentes a não residentes, nacionais a locais. Pelo seu envolvimento intrínseco e pela sua participação ativa nesta construção coletiva, a comunidade local merece um lugar de destaque neste “palco”.   - See more at: http://palcos.rotadoromanico.com/apresentacao/#sthash.BBK4PA0n.dpuf